Noivo trabalhando no sábado = noiva visitando o salão

Já falei por aqui algumas vezes que o Fê não é lá muito chegado a essa história toda de organização de casamento. Acho que por ele seria só marcar a data, fechar o salão, ter comida e bebida e pronto. Pensando bem, acho, não, tenho certeza. Ele chegou a me perguntar uma vez, logo no começo dos preparativos, “Pra que decoração?”. E ele não estava brincando.

Por isso, toda vez que ele trabalha no sábado, eu aproveito para perder horas na Capela da Puc e no Clube Português. E quando eu falo em perder horas, são horaS mesmo. Sem força de experessão. É sair de casa quase cinco horas e voltar depois das sete. Vou, observo cada detalhe da decoração, onde cada noiva colocou flores, observo os músicos na igreja, quantos casais de padrinhos tem no altar, choro com TODAS as entradas das noivas. E acho TODAS as noivas lindas. Juro. Sou muito facinha pra isso.

Hoje aproveitei mais uma escala ao sábado e fui na Capela da Puc e no Clube Português. A Capela foi decorada pela Luz & Arte hoje. Não estava feia, mas não é, nem remotamente, parecida com o que eu gosto para decoração de igreja. Sou meio minimalista demais e as noivas de hoje eram meio grandiosas. No Clube Português, a decoração do Salão Nobre era da Néctar Decorações. Estava simples, mas bonita. O que eu gostei mesmo foram as mesas de doces e de café que eram em módulos (e eu nem gosto de módulos) com tampo de espelho (e meu lado perua aflora novamente…). A mesa de doces também era com módulos sequenciais em vidro (aqueles com flores no meio) e tampo em espelho. Tinha muita prataria, castiçais e candelabros. Estava bem bonito. E bem perua também.

Lá dentro, havia banda (era daquela empresa Amber qualquer coisa…), os pontos de buffets estavam nas duas laterais do palco (o que ficou bem interessante). Aproveitei para ficar lá viajando no meu projeto de decoração. Observar espaços, verificar se dá certo, se atrapalha a circulação… Uma coisa que observei é que não é viável colocar os dois pontos de buffet um ao lado do outro. Eles irão fechar o espaço em frente à porta da cozinha, dificultando a circulação dos garçons. Riscado do projeto.

Outra coisa que a noiva usou (e é a segunda noiva que faz isso por lá que eu já vi nas minhas visitas) é colocar árvores francesas com velinhas no meio do salão, uma de cada lado (fica bem legal porque preenche o espaço – e pra mim, que não quero usar arranjos altos, acho que funciona bem). Não vai ser exatamente desta forma que eu vou fazer. A ideia é colocar nas pontas da pista, com flores de primavera (que eu adoro! E me lembram infância!) e com as velinhas.

Gostei também das folhagens que ela colocou. Nunca tinha visto deste modelo que ela usou. Gostei bastante. Só que é moderno demais para o estilo da minha decoração, mas é bonito.

Outra coisa que fiquei observando, pensando e analisando foi a forma como ela deixou espaço para a banda. A minha ideia original era colocar um cortinado para deixar a banda, mas da forma como ela fez, não precisou. Ela deixou apenas uma mesa, sem flor nem nada para os músicos, que ficou separada dos convidados pela mesa do buffet. É uma ideia. Será modificada, mas é uma ideia de partida.

Achei bem legal o fato de ter um vaso gigantesco de flores. Preencheu o espaço também e cria profundidade. Achei interessante. Nada de colocar folhagens nos pontos de buffet. A não ser se eu for colocá-los bem rentes à parede. E falando em parede, nunca tinha pensado nisso, mas é uma coisa necessária. Mesas de apoio. Eles colocaram, neste casamento, duas mesas de apoio (uma em cada lateral), com jarras e copos. Só acho que ficou faltando um vaso com folhagens (aí entram as folhagens).

As fotos forma todas feitas por mim e a qualidade está péssima, mas tudo bem. Era importante só registrar alguns detalhes para guardar.

Outra coisa que fiquei atenta hoje foi à iluminação. Nunca tinha feito isso. Fiquei calculando quantos pontos de luz precisaria. E outra coisa: conversei com o pessoal da iluminação para ter 100% de certeza que não será possível colocar as luzinhas e as lanternas japonesas. Até dá para colocar, mas vou gastar uma pequena fortuna com a estrutura para isso e ainda assim há a chance de nem funcionar (porque não pode usar fita crepe). Agora tenho meio milhão de caizinhas de luz de natal e um monte de lanterna japonesa e nenhum lugar para colocar, mas eu vou dar um jeito. Nem que seja no chá de cozinha.

No final, lá mesmo, redesenhei o projeto, eliminei um monte de coisa porque, na minha cabeça, o salão é muito maior do que é na realidade (é engraçado isso, né?). Hoje tudo pareceu menor. E toda vez é assim. Por isso, ia até cada espaço e ficava imaginando móveis e enfeites para tentar calcular se haveria espaço. Par muita coisa não houve. Por isso tirei. É bom porque diminui o custo…

Anúncios

3 comentários sobre “Noivo trabalhando no sábado = noiva visitando o salão

  1. Prezada Christiane,
    Somos da Security Brasil e ficamos felizes com o seu post sobre o nosso produto Security: o primeiro anti ressaca natural do mundo.

    Gostaríamos de fazer contato com você para tentarmos viabilizar o Security em seu casamento.

    Por favor, informe o seu telefone ou me retorne por email (f.zr@uol.com.br).

    Obrigado mais uma vez.

    Att,
    Fabricio

  2. Tássia disse:

    Christianeeeeee…meninaaaaaaa..me senti vc neste post…também queria lanterna japonesa, luzes de natal e vivo achando que o meu salão é gigantesco eeeeeeeeeeeeeee..quando chego nele, vejo que não é bem assim..dá uma tristeza, mas logo passa. Adorei saber que não estou sozinha nestas idéias que todos acham loucas..beijos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s