Porquê investir em papelaria

Eu já tinha comentado por aqui que falaria sobre a minha papelaria, mas ainda não tinha dado tempo. Na verdade, nem sei como começar a falar sobre isso.

Bom, pelo princípio.

Uma das coisas que eu tinha definido logo de cara é que faria toda a minha papelaria. A Raquel, lá daquele antigo grupo de noivas, tinha feito isso (o casamento super fofo dela está aqui – mas a papelaria, não). A Carolina Drummond (do blog Casando com Economia) também (olha aqui o convite dela).

Mexi por muito tempo na papelaria. E confesso que não estava muito satisfeita. Por isso, resolvi dar um tempo e deixar esse assunto de lado. Quando resolvi pegar a papelaria para resolvê-la, tinha perdido o pendrive com TUDO. Só tinha impressões e dois carimbos. O que eu tinha, basicamente, era isso aqui:

Uma tentativa de save the date:

SAM_0880

Dois carimbos (um deles que não dava para usar porque a gráfica alterou a fonte e ficou parte em maiúscula e minúscula e parte somente em maiúscula – e eu só reparei meses depois – sem brincadeira!)

SAM_0865

A minha ideia do convite era renda preta em papel branco. Verdade verdeira eu queria usar papel preto, mas queria também usar renda preta. Como a renda preta ficaria meio apagadinha no papel preto, optei pelo branco mesmo. A ideia do convite era uma janela, como o da Carol . Mas ela fez com o papel na vertical. E eu queria mais gordinha, na horizontal (na foto, repare como o meu lacinho era horrível, tadinho!).

SAM_0882

SAM_0877

Por mais que a ideia até fosse boa (e bem intencionada), não era exatamente isso o que eu queria. E já que eu tinha perdido meu pendrive (com tudo o que eu tinha feito), resolvi conversar com a Camis, da Noiva Diferente (Já falei sobre essa história aqui também). E quanto mais eu falava com ela, mais ficava empolgada.

 Eis que, depois de alguns dias, ela me envia a primeira prova do save the date. Um deles baseado no que eu já tinha enviado, lá em cima. Os outros dois, diferentes.

chris_save_01

Alteramos algumas coisinhas. Trocamos muitos e-mails. Eu enviava sugestões e ela enviava alterações. E chegamos a este modelo aqui, que foi impresso de duas formas: com fundo preto e com fundo branco (o preto e branco foi uma das coisas que o noivo/marido fez questão). O carimbo do envelope é o mesmo que eu tinha feito (uma das coisas que fiz questão de manter).

20121228-101210.jpg O segundo passo da papelaria foi o convite dos padrinhos. Na verdade, não fiz nada muito elaborado. Usei o save the date e acrescentei algumas coisinhas (e isso eu que fiz, sozinha). Para os padrinhos, entregamos uma caixinha com a gravata que escolhemos (todas cinzas, mas com variações de textura para pais e avô, meus padrinhos e padrinhos do Fê) com um cartão falando quais eram as próximas etapas dos preparativos e um agradecimento. Para as madrinhas, era o mesmo cartãozinho e mais uma espécie de livretinho com a paleta de cores dos vestidos. Assim, elas poderiam levar para a hora da escolha. Tinha mais um cartãozinho dentro de um envelope menor que tinha a pergunta: NA FRENTE (Nome da pessoa), temos uma pergunta a fazer: e NO VERSO Aceita ser nosso padrinho de casamento? Ou madrinha, se fosse o caso. Mas eu não tenho mais desse impresso. Ou, pelo menos, não achei em casa. O mais bonitinho foram os cartõezinhos das avós, que perguntavam se elas aceitavam levar as nossas alianças. Foi emocionante.

20121228-101217

20121228-101234.jpgDe volta à Camis, a etapa seguinte foi a elaboração do convite. Já tinha falado pra ela o que eu imaginava. Separei um milhão de ideias no Dropbox e enviei tudo. Ela pegou as minhas ideias e selecionou o que achava mais legal e aí comparamos tudo e conversamos. Tudo por e-mail.

Ela me enviou três modelos. Com cor e preto e branco (como noivo/marido tinha pedido). Selecionei um modelo bem próximo ao que eu imaginava e começamos a trabalhar nele. Este foi o primeiro esboço do que seria o convite, sem qualquer alteração.

chris_convite_01

Aí ele ficou assim (neste momento, já tinha mudado de ideia e transformado o convite em um A4 com uma dobra no centro – ou seja, ele ficou horizontal)

convite final

A dificuldade, depois, foi em como fazer impressão e o fechamento, digamos assim. Já falei que tentei imprimir em casa. Mas ficou horrível, por isso mandei para uma gráfica perto da casa dos meus pais. Não lembro quanto foi a impressão (mas acho que todas essas informações estão naquele link lá em cima sobre o convite). Resolvi que seria fechado na horizontal, bem no meio. Comprei o papel preto com textura e brilho. Comprei a renda branca e aprendi a fazer laço (coloquei aqui o vídeo com o qual realmente aprendi a fazer laço. Mas perdi horas fazendo lacinho mixuruca). Colei o convite (impresso em papel alta alvura 240g) com fita dupla face sobre o lado sem textura do papel preto e deixei de lado.

Cortei, então, um pedaço de papel vegetal para enrolar as tags individuais e da lista de presentes (um retângulo que deixasse borda para as tags) e colei uma bolinha transparente. Coloquei na lateral dos convites com um clipezinho prata.

20121228-101241

Para fazer as cintas de renda, peguei um papel 180g para teste e medi o tamanho da renda e cortei. No mesmo papel, fui colando a pontinha com cola quente. Bem fininha a linha de cola quente para não ficar grosseiro. Se sobrar um pedacinho maior de renda, pode cortar com uma tesoura bem afiada.

20121228-101247.jpg Cortei, então, a fita branca e fiz o lacinho seguindo as instruções daquele vídeo. Para as tags com os nomes dos convidados (fiz os convites dos pais, dos avós e tios mais informais e o resto fiz como o noivo/marido queria: com nome e sobrenome), imprimi em papel pérsico 180g (o mesmo do save the date) com a mesma fonte do “Convidam para o casamento…” do convite. Colei com cola quente também. Só um pouquinho de cola quente e tomando cuidado para ficar centralizado.

20121228-101252.jpg

Próximo passo foram os detalhes. Chamo de detalhes tudo aquilo que, segundo a minha mãe, o Fê e um monte de gente é só frufru… Mas que fizeram total diferença. Eu tinha acertado com a Camis fazer um monte de coisas que eu acabei desistindo no meio do caminho e substituindo por outras. As lágrimas, por exemplo, só decidi fazer duas semanas antes praticamente. Foi uma das últimas coisas a ficar pronta. E não sobrou umazinha pra contar história. Só tenho foto da caixa com elas, que tirei no dia anterior e de uma convidada que postou no Facebook.

425850_532962200062913_1720318726_n

Textos dos porta-retratos. Eram três: um para a mesa de recados (veja aqui em como ficou na decoração), um para a photo booth e um para o banheiro. A da photo booth não teria feito. Ninguém repara (a não ser você, cara noiva) e a minha photo booth ficou num lugar mais escuro, então não dava para ler direito (olha aqui como ficou na decoração). Mas as outras duas super funcionaram. Não tenho foto da plaquinha do banheiro (só a que eu já tinha postado aqui). Mas gostei bastante.

20121228-101332.jpgO cardápio pra mim era uma dificuldade imensa. Até que encontrei a inspiração que eu tanto procurava: o tecido! Usar o tecido como capa do cardápio! Eu queria que ele ficasse como um livreto (porque colocaria uma mensagem na contracapa – ao invés de colocar em cada lugar na mesa – uma forma de ser simpática, mas economizar). No texto, no entanto, há uma parte que pode parecer indelicada, mas foi muuuuuito útil porque realmente surtiu efeito.

20121228-101257

Os cartões para recados, em compensação, foram super fáceis de serem feitos porque eu já sabia exatamente como queria. Cartões em envelopes para colocar em uma gaiola. E depois colar em um livro. Ficou muito legal. E este eu que fiz também (usei um dos carimbos que já estavam prontos antes de contratar a Camis – e que ela usou no resto da papelaria).

20121228-101342.jpgMais uma coisa que eu fiz foram os saquinhos para as guloseimas. Comprei os saquinhos na Matsumoto (na região da 25 – e onde fui tantas e tantas vezes ao longo dos preparativos). E carimbei um a um. A única dica aqui é colocar um papel entre os dois lados do saquinho para não manchar e, depois de carimbar, deixe secando por alguns minutos (para não manchar o saquinho que você colocar em cima).

20121228-101328.jpg A última coisa que eu fiz foram as tags das lembrancinhas. Que foram bem simples. O número da sandalhinha (33/34, 35/36, 37/38, 39/40) com aquele símbolo que tem no resto da papelaria.

20121228-101322.jpg

Ainda fizemos: tag de carro, adesivo da gravata e as identificações dos doces e da comida que foi servida pelo buffet. Ah! E as mesas reservadas.

20121228-101316.jpg

20121228-101401.jpg20121228-101406.jpg

E foi isso. Ah! último detalhe, se você reparar, tudo o que era antes do casamento/cerimônia, foi feito em preto e branco. Tudo o que foi depois do casamento/cerimônia, é floral (colorido). Exceto pelas coisas básicas mesmo (saquinho de doces, tag de lembrancinhas – achei que era gasto desnecessário – verdade!).

Esta estampa floral eu utilizei várias coisas do casamento: caminhos de mesa, fundo de quadrinhos com letrinhas e também, claro, na papelaria.

Queria aproveitar para agradecer à Camis pelo resultado de todo o trabalho. Amei tudo, do começo ao fim. O resultado ficou a minha cara, super personalizado, ela não mediu esforços para isso. E posso te garantir que o preço ficou muito menor do que o que eu pagaria em qualquer gráfica pra fazer uma papelaria bem basiquinha.

Tudo isso foi pra dizer que vale a pena investir em papelaria. Mas é preciso ter cuidado. Porque eu acho, sim, que papelaria é uma coisa que vai para o lixo. É somente um mimo para o convidado. É detalhe de noiva. É tudo isso. Mas faz toda a diferença. E dá para fazer tudo o que você gostaria de fazer sem gastar rios de dinheiro.

Ah! E última coisa: como eu achava que iria fazer a papelaria sozinha, comprei muita coisa para teste. Só que não usei praticamente nada. Por isso, cuidado. Faça testes e não saia comprando tudo o que é preciso. Eu aprendi só depois.

20121228-100737.jpg

E agora… o que fazer?

E chegaram ao fim os posts sobre o casamento. (Na verdade falta um, sobre a minha papelaria – que eu amei amei amei! – , feita pela querida Camis, mas eu ainda preciso juntar o material – que está parte em casa e parte na casa dos meus pais… essa nova vida é muito engraçada! E outro sobre o cartão de agradecimento – que ainda não está pronto!)

Aproveito aqui para agradecer a todas que comentaram, que me apoiaram, que sentiram o meu desespero durante a história do meu grande dia. Mas tudo  que é bom chega ao fim. E cá estou eu.

Por um tempo, confesso que não queria nem ouvir falar em casamento. Precisei de férias mesmo. Agora já estou curada. Às vezes, sinto a maior falta de algumas coisas. Era uma vida corrida gostosa. De verdade. Falei outro dia para uma, como eu, ex-noiva, que deveria ser obrigatório a gente se casar uma vez por ano. Porque tem um monte de coisa que dá errado, mas é tão emocionante e divertido… (E a gente aprenderia com os próprios erros!)

Minha mais nova aventura agora são decoração, organização de casa e decoração/organização de casa DIY. Estou começando a seguir alguns blogs e vendo o quanto este universo é interessante. E como sou nova na história, tudo é novo e divertido. Assim que estiver melhor adaptada aos blogs e perceber o que é legal e o que é fraquinho, aviso aqui. Mas o que achei mais interessante ainda é que eles dão umas ideias muito boas pra casamento. Em especial, para mini wedding. Várias dicas legais. Muito DIY.

Outra coisa que agora viciei de vez foi no Pinterest. Reorganizei minhas pastas e agora está tudo ainda mais divididinho e ganhando nova vida. Minhas pastas de casamento estão bem legais. Compactas,  mas legais.

Quero ver se consigo mandar as fotos do meu computador para lá. Assim não fico com dó de deletar. Se quiser me visitar por lá, é só clicar aqui.

Casei! E (quase tudo) foi assim

Foi a notícia da semana! Mais de um mês depois, consigo ver a decoração do casamento. Graças a Vivi (minha decoradora fofa fofa fofa da Luz & Arte). Eu sei que sou suspeita pra falar sobre a decoração do meu casamento, detalhadamente pensada, desenhada e discutida. Por mim. E maravilhosamente executada – e aprimorada – pela Vivi. Tem coisas que poderiam ter sido feitas e não foram? Claro. Passei muito tempo vendo coisas sobre casamento… era só um salão… só um tema. Uma escolha. Mas modificaria muito pouca coisa!  E fiquei muito feliz com o resultado.

Ver os detalhes que eu fiquei pesquisando em busca de referências. Ver aquelas coisas que eu amei na decoração dos outros tomando forma no meu casamento. Ver os objetos que peguei com a minha mãe (vasos, livros, toalhas), a minha avó (a cortina da mesa de doces!), a minha madrinha (olha a sua bicicletinha, Nati!). Ver os detalhes que EU fiz. Aos quais dediquei horas e horas das minhas madrugadas (e foram muitas madrugadas.). Nem acredito. De verdade. E o pior… lembrar que nem reparei nisso tudo no dia.

Mas foi assim. Pelo menos a decoração do salão.

Para explicar o salão. Ele fica no segundo andar do prédio do Clube Português. Os convidados subiam dois lances de escada. No primeiro, ficavam o varal de fotos, os bem-casados e a mesa de saída. No segundo, o lounge da massagista e a mesa de recados.

Na foto abaixo, ainda não há o porta-retrato com a nossa foto da igreja. Só a dos nossos pais. Mas já dá para ter uma ideia. E tem as luzinhas da banda, que ficaram maravilhosas. Mas depois eu vejo se consigo fotos disso.

Peço desculpas pelo excesso de empolgação, mas depois de tanto tempo esperando para ver as imagens, não consigo me conter. Então, com decoração da Vivi, da Luz e Arte; identidade visual e papelaria da Camis, do Noiva Diferente; sousplats e forminhas cortadas a laser da Piperina (olhe na mesa de doces que coisa mais linda! e os sousplats lindos lindos na mesa dos noivos!); muito DIY e pesquisa desta que vos fala e fotos de Denis Batista, eis a decoração do meu casamento. A todos, o meu muito obrigada. Por terem participado deste momento tão especial. Por terem transformado o meu sonho em realidade.

Primeiro hall

Segundo hall

O salão

Photo booth

Banheiro

Casei! (E as coisas que me ajudaram durante o planejamento)

Durante o período de preparativos, utilizei muitos recursos para ajudar na minha organização e para buscar inspirações também. Alguns viraram vícios (quase todos). Outros ficaram meio esquecidos ao longo dos meses.

Facebook

Imagina uma pessoa com um assunto único durante dois anos? Imaginou? Então… eu era bem pior. Chegou um momento em nem a minha mãe aguentava mais o assunto casamento. O que me ajudou (e ajudou aqueles que vivem ao meu redor) foi o fato de eu ter achado grupos de noivas com quem eu podia compartilhar o assunto, trocar ideias e parar de encher o saco das pessoas mais próximas nas horas restantes. E, não é porque eu já me casei, não, mas ficar falando sobre o mesmo assunto o tempo todo cansa demais. Os outros.

Google Reader

O Google Reader era a página inicial no meu celular. Ele estava constantemente ao meu lado. aquele tipo de vício que é a primeira e a última coisa que você faz todos os dias. Acompanhei, diariamente, mais de 100 blogs. Do mundo todo. Sem brincadeira. Estados Unidos, Austrália, França, Itália, Alemanha e uns de uns países nada a ver. Que eu nem lembro mais… Estão ainda lá. E, por algum motivo, não consigo cancelar a inscrição. Foram tantas horas de pesquisa. Primeiro para encontrá-los. E depois de encontrá-los, lendo, vendo, copiando… que dá uma cita tristeza de simplesmente deletá-los. Alguns blogs li de ponta a ponta. Alguns odeio agora. Outros sou louca de paixão. E, de verdade, estou me programando para mudar o Google Reader e colocar alguns blogs de Decoração. Mas ainda não consegui.

Pinterest

O Pinterest surgiu na minha vida no começo deste ano (acho). É um banco virtual de imagens. Ótimo para não deixa o seu computador até lento de tanta imagem que você guarda. Atualmente, uso o Pinterest para decoração de casa (acredita?) e os meus “boards” com imagens de casamento continuam lá. Se quiser dar uma olhada, procure por Christiane Teixeira Zboril.

Celular e computador

Meu celular é um arquivo portátil de casamento. Todos as fotos são divididas por assuntos, que, por sua vez, são divididos por pastas temáticas. No computador de casa, a mesma coisa. Tinha pendrives, que ficavam comigo 24h, para salvar novas imagens. Em casa, dividia por assunto e depois atualizava o celular. Perdi muito tempo com isso. Mas foi o que me ajudou em relação às referências. No final, deixei apenas aquelas imagens que tinham a ver com o que eu queria. Por fim, fiz um álbum chamado Inspiration Board. Tentei colocar no meu casamento os elementos que ali estavam. E acho que consegui (assim que tiver as fotos, vou tentar colocar referências x o que de fato consegui fazer). Hoje tive coragem de limpar o Celular. Todas as imagens de referência foram deletadas. Mas continuam no computador.

20121115-221155.jpg

20121115-221200.jpg

Dropbox

A ideia do Dropbox é ótima. Você salva as imagens ali e consegue visualizá-las mesmo sem estar à frente do seu computador. E ainda pode compartilhá-las, sem precisar ficar enviando um milhão de e-mails. Quem me deu esta ideia foi a Camis (Noiva Diferente), que fez minha papelaria. Usamos bastante no início para que ela compreendesse aquilo que eu tinha em mente, o que eu gostava e o que eu não gostava. Depois de compartilhar a pasta, ela separou as imagens que mais gostava e eu fiz o mesmo. A partir daí, fomos desenvolvendo toda a papelaria. Confesso que, depois dessa etapa, raramente olhei para o Dropbox. Mas foi ótimo na época em que precisei dele.

Fichário do casamento

Outra coisa que fiz e que me ajudou bastante foi o fichário do casamento. A ideia eu peguei com a Carolina Drummond, do blog Casando com Economia. Quem me mostrou o dela foi a Mari (foi nosso primeiro contato e, por incrível que pareça, ela é uma das pessoas mais próximas que tenho ultimamente). Separei com divisórias por assuntos. Igreja, Salão, Decoração Salão, Foto, Vídeo, Música Igreja, Música Salão, DIY… e por aí vai. Foi bom porque, ao final, era fácil procurar qualquer tipo de informação. Ali estavam s principais e-mais trocados, os contratos e qualquer outro item que achava necessário. Por exemplo, na parte decoração do salão, coloquei um pedaço do tecido. Na de papelaria, coloquei cardápios e saquinhos que serviriam de inspiração…

Caderninho com regressiva dos dias e tarefas

Durante todo o último ano de preparativos, tive uma planilha de tarefas mensais. Tentei seguir tudo atentamente para que não faltasse tempo para fazer nada. Lógico que eliminei muita coisa no meio do caminho. Não dá. É humanamente impossível conseguir colocar no seu casamento tudo aquilo que você vê nos blogs da vida. Anda mais para quem seguia tanto blog. Mas nos últimos dez dias fiz montei um cronograma m um caderninho que funcionou muito bem. Dividi todas tarefas nos dez dias finais. Sendo que no último só ficou o que era realmente necessário que fose executado naquele dia. Ele foi meu companheiro fiel. Ficou o tempo todo ao meu alcance. E, a cada tarefa executada, lá ia eu grifar e deixar um “problema” pra trás. Isso eu super recomendo.

20121115-220720.jpg

20121115-220724.jpg

20121115-220730.jpg

O blog
Ter o blog, por incrível que pareça me ajudou muito no processo. Escrever sobre aquilo que eu encontrava, guardar links, ideias fez com que eu me ajudasse a visualizar melhor o meu casamento. A gente vê muita coisa e quando eu precisava encontrar algo, ia na busca do blog e lá estava a informação que eu queria.

O casamento (checklist)

Acabei de delatr a página “O casamento” porque achei que não tinha mais nada a ver com nada. Pra não acabar com a história toda, criei este post aqui.

 

Nosso Checklist

Aqui você contra todas as informações sobre o nosso casamento, a partir do momento em que a gente for contratando os fornecedores.

Data: outubro/2012.

Cerimonial: Denise (não recomendo)

Cerimômia: Paróquia Coração Imaculado de Maria – Capela da PUC (linda linda)

Recepção: Clube Português (foi ótimo!)

Buffet: Morenos (comida e doces maravilhosos. Não tenho do que reclamar)

Whisky: Duty Free (funcionou super bem. Mas comprei demais)

Espumante: Jallas Bebidas (sobraram poucos, mas era delicioso)

Bolo: Morenos (não comi, mas disseram que estava muito bom)

Bolo do corte:

Alianças: Vivara

Fotografia: MV7 – Marcia Piveta e Vladimir Nacci (ok)

Vestido da noiva: Black Tie (recomendo e falem que vocês foram por indicação de outrA noiva. Ganha desconto, viu?)

Sapatos da noiva: My Shoes (troquei e acabei usando um da Durval)

Identidade Visual: Camila Pires (uma das melhores escolhas do casamento inteiro) – anca Diferente

Doces: Buffet Morenos, Opera Ganache, Santo Vício Chocolates, Pecadille (não teve uma santa alma que não tenha comentado: “O que eram aqueles doces do seu casamento?)

Macarons: Opera Ganache (sensacional!)

Bem-casados: Ana Cristina Bem-Casados (foi o que mais fez sucesso na festa)

Banda: Opus 6 (super estrelinhas, mas vale cada centavo investido)

Lua de Mel: Punta Cana e Panamá (via Soltau Turismo) (PERFEITA!)

Decoração do salão: Luz & Arte (um milhão de “amei” são insuficientes para expressar o quanto gostei)

Músicos da igreja: Toccata (como diria Ronnie Von, “impecável”)

Vídeo: TW Eventos

Carro: Carro de Cena (sem reclamações)

14 dias e uma incomensurável felicidade por ter um rodo, uma vassoura e um balde

Faltam 14 dias! Bom, na verdade 14 dias faltavam ontem, mas como eu sempre escrevo o post no dia seguinte, a conta será essa mesmo.

Ontem fomos ao apartamento medir o que ainda faltava ser medido. E descobri que o espaço entre a pia e a parede é de 71 cm. Exato tamanho da geladeira. Ou seja, nada de geladeira naquele canto para a Chris. Ou então, faremos como o Fê sugeriu. Colocar a geladeira de canto. E, novamente, é o que temos para hoje. E para os próximos meses. Até que a Tecnisa resolva entregar nosso apartamento.

Ontem fizemos nossa primeira compra no supermercado. Alvo: produtos de limpeza. E, meu Deus, como gasta! Compramos lâmpadas (várias delas estavam queimadas), papel higiênico, sabão em pó, sabão em pedra, Veja e aquela parafernália toda que eu nem sabia o que era e como usava. De verdade, continuo ainda sem saber. Mas eu aprendo (preciso até procurar no blog da Camila Stecca um post super legal que ela fez logo após o casamento, em que ela ensinava a moça que trabalha em sua casa como limpar as coisas. Não vou ensinar ninguém, mas vou aprender.  será super útil. Aliás, sempre tem  umas dicas interessantes lá no Jogando o Buquê (quer exemplos? aqui, aqui e aqui).

Aproveitei a oportunidade e, hoje de manhã, fui a uma lojinha dessas de 1,99. Nossa! Comprei muita coisa. Panos, baldes, vassoura, rodo, rodinho de pia, desentupidor de pia, ralo japonês, aquele negocinho para colocar detergente… E a minha felicidade quando levei tudo isso pra casa? Muito feliz por ter rodo! Acho que porque, a partir de agora, a gente pode limpar o apartamento e começar, de fato, a mudança… muito legal!

No campo cerimônia/festa, ainda faltam algumas poucas coisinhas, mas que vão se ajeitando. Falta ainda confirmar a presença de um monte de gente porque segunda tenho que passar para o buffet a quantidade de pessoas. Mas o RSVP está cuidando disso. Preciso mandar as coisas para a gráfica (o resto da papelaria – feita pela fofa da Camis), passar e engomar minhas toalhinhas, separar as coisas para levar para a Vivi (Luz e Arte), limpar o apartamento, levar as coisas que estão em casa para o apartamento, escolher o perfume, comprar a lingerie para a noite de núpcias e algumas coisinhas para a lua de mel, revelar mais algumas fotos, comprar as caixinhas das lembrancinhas dos padrinhos… ai, muitas coisinhas…

Ah! Defini, finalmente, a cor do bem-casado. Hoje de manhã, o pessoal da Ana Cristina enviou a foto abaixo… Não tive muita opção de escolha, né?

15 dias: várias emoções que se misturam

Faz muito tempo que quero escrever este post, mas vários motivos me proibiam. Na verdade, ele mi
tura um monte de coisas. A primeira, e talvez, a mais significativa, é que pegamos a chave do apartamento. Isso tudo bem, que já, de certa forma, estava programado. Mas fomos lá medir e viajar no que pode ser feito. A viagem, de verdade, tem que ser meio curta. O apartamento é alugado (o nosso não ficou pronto, como eu já tinha adiantado). Então não adianta muito a gente investir no apartamento alugado. Mas, ainda assim, precisamos de um armário (que vai para o outro apartamento), um sofá (que também vai), um fogãozinho (sem ele não conseguimos comer – só isso) e um armário para a cozinha (que, disse o proprietário, será abatido no valor do aluguel). Fizemos tudo isso ontem à noite. Como o espaço para o sofá no apartamento atual é reduzido, compramos um sofá-cama que irá para o segundo quarto do apartamento, no qual ficarão nossos padrinhos queridíssimos quando nos visitarem e beberem um pouco além da conta.

Hoje já assinei a Net e eles instalarão no domingo. A geladeira (presente de uma tia querida) chegará em duas semanas. E assim vão indo as coisas… Temos agora que cuidar de detalhes… limpar o apartamento, mudar os móveis existentes, substituir lâmpadas queimadas, comprar coisas básicas, como rodo, vassoura, lixeira… Não fizemos chá de cozinha porque nem tínhamos onde colocar as coisas. E agora nem dá mais tmepo. Mas tudo bem.

Quanto à festa, nada muito adiantado. Aprovei todos os layouts faltantes da papelaria com a Camis. Ficaram lindos! Como tudo o que a Camis faz (aliás, já viu o site dela? É de ficar maluquinha!). E com uma paciência que só sendo Camis (tadinha…). Fechei o terceiro fotógrafo (para a photo booth). Com um valor maior do que eu imaginava que fosse pagar. Mas com qualidade superior. Então acho que vale a pena. Ah! Não contei! Tive que cancelar a e-session por pura falta de data. Fotógrafa não tem data durante a  semana e só tinha um sábado disponível (aquele em que estávamos como doidos procurando – só – um lugar para morar). Uma pena! Mas, se Deus quiser, a gente consegue fazer uma e-session daqui um tempo. Quem sabe durante uma viagem, né?

Fechei também as reservas de hotel. Já tinha falado que a minha ideia era me arrumar em um hotel… por isso, acabei reservando três quartos diferentes. Dois (pequenos) em um mesmo hotel. E outro em um maior.  Acontece que tudo mudou e eu resolvi fazer o dia da noiva no salão mesmo (em um salão super fofo chamado GVert, que fica ao lado de casa e onde as pessoas são muito atenciosas!). Já que o hotel estava lá, o Fê resolveu passar o “dia do noivo” dele no hotel com os padrinhos. Achei ótimo porque fica perto da igreja e assim eles não se atrasam. Hoje eu liguei para cancelar as reservas que sobraram. Uma coisa a menos na lista.

Já aproveitei a fase produtiva e atualizei o site com informações sobre salões próximos ao casamento, hoteis na região e telefones de táxi 24 horas. Vai que alguém precisa, né?

E, pra terminar, a parte mais emocionante do dia. Hoje eu, finalmente, conheci a Tania D’Alessandro. A Tania é proprietária da Piperina, uma empresa que produz forminhas, wrappers, caixinhas, soupslats… tudo cortado a laser. O trabalho é lindo!

A Tania é um amor de pessoa… (e o que é mais interessante) acabamos por nos conhecer pelo blog. Trocando e-mails. Achei muito legal isso…

Achei o trabalho da Piperina a coisa mais linda e delicada do mundo! E olha o que a Tania me entregou hoje: o sousplat com o meu tecido e meus passarinhos para as taças do brinde! Todos cortados a laser! A coisa mais linda!

20120927-132510.jpg

Uma coisa muito legal é que você pode escolher os produtos do jeito que quiser. Escolher desenhos, papeis, combinar, descombinar… e no site você encontra todos os valores! Uma coisa que ela me sugeriu (e que eu achei bem legal!) é mesclar as forminhas. Não precisa deixar todas iguais. Porque também fica legal colocar algumas de tecido, outras mais simples de papel mesmo, sem tantos enfeites, digamos assim. O que é interessante porque dessa forma você não gasta rios de dinheiro em fominhas (que vão para o lixo, mas que deixam a mesa linda!).

Piperina
www.piperina.com.br
(11) 99191-9339