Um bar de vinho (e muitas possibilidades de escolha)

Nessa volta meio doida que faço agora, nem sei o que já contei ou não. Por isso, meio que começo do zero.

Meu marido gosta muito de vinho. Já fez cursos na ABS, participou de diversas degustações. Teve até um blog sobre o assunto, mas que, pelos inúmeros compromissos da vida, foi abandonado (e deletado, posteriormente). Temos adega em casa, ele é assinante do Wine Club, da Wine.com.br (empresa na qual trabalhei como assessora de imprensa, por incrível que pareça – faz taaaantos anos!), trazemos sempre muitos vinhos de viagens, essas coisas todas.

Por isso sempre gostamos de procurar restaurantes ou bares legais pra se experimentar um bom vinho. Gostamos muito do Estacíon Sur, que fica nos Jardins. Já fomos a alguns Wine Dinners, bem legais. Por um valor fixo, você tem jantar (com entrada, prato principal e sobremesa) com vinhos harmonizados de uma mesma vinícola. Uma coisa bem interessante.

Eu, que entendo de nada a muito pouco, nunca imaginei que existisse uma coisa desse tipo. Mas é algo que vale a experiência.

No ano passado, meu irmão tinha falado sobre um Wine Bar no Itaim que oferece degustação de vinho, por taça. Você paga o valor correspondente a uma taça de vinho e experimenta quantas você quiser. Mas Itaim é longe de casa. Ainda mais com a história de Lei Seca – Tolerância Zero. Aí a gente adiando.

Até que neste final de semana, saiu na Veja São Paulo uma notinha sobre um lugar relativamente novo, na Vila Madalena, com o mesmo propósito.Poucas horas depois, estávamos na Mourato Coelho. O lugar se chama Tazza. E é bem legal.

 

image

Pequeninho, com uma decoração mais despojada, com tijolos aparentes pintados de branco, lâmpadas bolinha penduradas em tamanhos diferentes, mesa comunitária bem grande no meio do restaurante. Um lugar diferente, descontraído, sem aquela coisa de formalidade que às vezes pode ser associada ao vinho.

20140421-124708.jpg

Lá, o cliente escolhe, dentre 47 opções diferentes (entre brancos, rosés, tintos…) qual vinho quer, qual quantidade quer (30, 60, 120 ml) e quando quer. Com preços que variam entre, sei lá, R$5 e R$80. Mais ou menos por aí. Achei o estilo muito legal. Nunca tinha ido a um lugar assim. Se você estiver com dúvida quanto ao que pegar, sempre há alguém à disposição para te ajudar.

20140421-124713.jpg

E o que é mais legal: a comida é fantástica. A chef é de família israelense com marroquino, se não me engano. Tem uma pegada árabe no cardápio. Vi fallafel, cuscuz marroquino, muito camarão, polvo e opções de carne. São porções, que podem ser pedidas inteiras ou meia.

Como era páscoa, havia uma opção de meia porção harmonizada com um vinho. Pedi um duo de brusquetas (de shitake – deliciosa!), que veio com um vinho branco bem gostoso e que harmonizou perfeitamente! Não lembro qual era (acabei de achar na internet: Muscadet de Sevre-et-Maine) Já meu marido pediu o polvo (não sou muito fã de coisas do mar, mas o molho estava muito bom).

Experimentamos também um polpetone de cordeiro com coalhada, que veio servido com um pão, feito na casa. Juro que poderia jantar, nessa época de frio, só aquela coalhada toooodos os dias. Uma das coisas mais gostosas que já experimentei.

20140421-124613.jpg

E o pão (não é esse aí da foto acima, ta? Esse é da imagem que encontrei no site)? Ele tinha sal grosso e alecrim em cima e uma camada adocicada por baixo. Recebeu tantos elogios que a chef (Lúcia Sequerra) até nos presenteou com mais um pedaço para levarmos para casa (e que foi meu café da manhã no dia seguinte). Postei lá no Instagram (me segue lá: @chris_samira).

20140421-124133.jpg

Vale muito a pena. Uma noite deliciosa! Ainda mais a dois.

** Fotos: (exceto a do pão) Tazza – o bar do vinho

Tazza
Rua Mourato Coelho, 1140 – Vila Madalena
(11) 3564-9581